Lew Company

Viva à Democracia!

23/09/2020

Neste mês de setembro, mais precisamente, em 15 de setembro, comemoramos o Dia Internacional da Democracia. Caso você não saiba foi a ONU (Organizações das Nações Unidas) quem instituiu essa data como parte do calendário global, com o objetivo de enfatizar o dever de promover a democratização, o respeito pelos direitos humanos e as liberdades fundamentais.

Nós, Brasileiros, vivemos a democracia, mas temos plena consciência do que isso significa ou simplesmente passamos por ela??

Vamos relembrar ou nos alinhar, então, quanto ao que significa, exatamente, viver em um sistema democrático?

>> Segundo a ONU, a democracia é um valor universal baseado na vontade expressa livremente pelo povo, de determinar seu próprio sistema político, econômico, social e cultural, bem como a sua plena participação em todos os aspectos da vida.

Vale lembrar, ainda, que vivemos, sim, em uma sociedade democrática, mas nem sempre foi assim: há apenas 75 anos, o Brasil vivia uma ditadura. Por isso, é essencial nos assegurarmos de nossos direitos como cidadãos e de que o poder do povo seja sempre legitimado. Todos nós devemos ter os mesmos direitos como cidadãos políticos.

Mas será que é assim mesmo que funciona? Será que mulheres e homens, brancos e negros, independentemente da orientação sexual e classe social, têm os mesmo direitos políticos, econômicos, sociais e culturais? Será que as relações de poder são equiparáveis? A resposta é não.

No Brasil, as mulheres só conquistaram o direito ao voto em 1932. A presença feminina na política brasileira é pequena: apenas 12,35% dos cargos eletivos são de mulheres. Já no Senado, elas são 13%, e na Câmara dos Deputados, 15%. Esses números demonstram o grande desiquilíbrio que ainda existe em representatividade das mulheres nos locais decisórios, sejam na política ou nos cargos de alta liderança do mundo corporativo.

Essa falta de equiparação estrutural acaba por incidir também sobre a segurança das mulheres, que em muitas comunidades e regiões são extremamente abusadas e negligenciadas, de diferentes formas.   

A resposta para mudar esse cenário não é simples, mas podemos começar por um ponto que, apesar de básico, faz toda a diferença: eleger mais mulheres na política. Pesquise sobre as candidatas, vote nas que você mais se identifica e assim, veremos algum progresso no protagonismo feminino e na correção histórica para com as mulheres.

A mesma coisa acontece com os negros. Em levantamentos de 2018, apenas 24% dos deputados federais eram negros e pardos, mesmo sendo mais da metade da população do Brasil. Com essa sub-representação no Parlamento, suas demandas não conseguem ser totalmente contempladas, e a luta contra o racismo perde a força política, o que gera mais um ciclo de racismo estrutural.

Assim sendo, em nome da Democracia, é essencial que lutemos por um sistema democrático mais justo, respeitoso, igualitário e plural. A democracia é, sem sombra de dúvidas, o modo de governar que mais proporciona qualidade de vida para a população. É necessário lutar pela evolução e manutenção de uma verdadeira democracia, lembrando sempre de lutar para que a tornem, também, mais inclusiva.

A LEW Company é uma consultoria especializada em diversidade e inclusão, especializada em equidade de gênero, raça, pessoas com deficiência e LBGT+, com soluções para as empresas e para você.

Conheça mais acessando www.lewcompany.com.br

Por Beatriz Froio