Lew Company

ONDE ESTÃO AS MULHERES EM 2020?

24/01/2020

Abrindo nossa série de artigos a respeito da presença feminina nos cargos de alta liderança, buscamos saber o que mudou de 2015 para cá. Quem nos conta é a McKinsey com sua pesquisa – Mulheres no Mercado de Trabalho – conduzida em parceria com a LeanIn.Org.

Há 5 anos, a pesquisa vem sendo conduzida com cerca de 600 empresas e mais de um quarto de milhão de pessoas pesquisadas sobre suas experiências no local de trabalho. São mais de 100 entrevistas, individuais, detalhadas que geraram as informações abaixo:

Como podemos ver através dos números atuais da pesquisa, há evolução em alguns níveis, mas, sem dúvida, as empresas precisam concentrar seus esforços no início do processo – no seu pipeline de contratação e programas de desenvolvimento de lideranças femininas, desde os cargos de coordenação e gerenciais, para obter progressos reais.

Nos últimos cinco anos, vimos mais mulheres subirem para os principais níveis das empresas e há um número crescente de empresas já conscientizadas do valor em se ter mais mulheres na liderança. Estamos vendo um progresso na diversidade de gênero e este é só o primeiro passo, porém, de extrema importância e necessidade para o objetivo evolutivo envolvido nessa questão.

Embora as mulheres continuem sub representadas em todos os níveis, já se sabe em que parte do processo, as empresas precisam se concentrar para eliminar as lacunas ainda existentes. Observa-se, através das diferentes pesquisas, que as lacunas começam bem antes das altas lideranças. Já nas ascensões para os cargos de  gerência, encontramos organizações e líderes ainda contratando, avaliando e promovendo sob forte influência de seus vieses inconsciente (Unconscious Bias).  

Reparar esta fragilidade é a chave para se atingir a tão necessária e desejada equidade de gênero.

O clima organizacional consequente de uma cultura bem estrutura e em constante lapidação, frente às constantes mudanças do mercado de trabalho, é igualmente importante para que os profissionais sintam-se respeitados e com a mesma oportunidade de crescer e avançar em suas carreiras. Já sabemos que hoje não se atrai, nem se retém talentos apenas com salários atrativos e um bom nome no mercado, é preciso muito mais que isso. Os profissionais do Século XXI buscam, principalmente, oportunidades de desenvolvimento, justiça e liberdade para criar, sugerir e movimentar-se!  Eles buscam por propósito, em um sistema justo e com oportunidades para todos.

Esforços traçados corretamente, com ações sustentáveis para contratar e promover candidatos mais diversos, desenvolve uma força de trabalho mais diversificada levando naturalmente a uma cultura mais inclusiva e  em que as mulheres e os grupos sub representados sentem-se mais encorajados e propensos a prosperar.

As pesquisas mais recentes, como a da McKinsey, mostram que Hoje, 44% das empresas têm três ou mais mulheres em níveis executivos, contra 29% das empresas em 2015. Os resultados já comprovam que ao se incluir uma única mulher, que seja, no quadro diretivo da organização pode fazer uma diferença significativa, dado o papel crítico que os altos executivos desempenham na formação dos negócios e da cultura de sua empresa. Mesmo assim, vemos uma representação geral das mulheres  em cargos executivos longe, ainda, de ser equitativa. Cerca de 1 em cada 5 executivos de alto nível é  mulher e destas, apenas 1 em cada 25 é uma mulher negra.

Há sinais de que as lacunas estão começando a caminhar para um fechamento. Há mais mulheres se tornando líderes seniores, porém, somente com ações recorrentes e sustentáveis nos primeiros cargos de liderança esse avanço se dará com maior eficácia. Faz-se  necessário uma campanha maciça de conscientização, adequações nas condições de trabalho e encorajamento às mulheres para perseguirem aquilo que, realmente, desejam para suas carreiras. Independente de nível social, raça, estado civil ou intenção de maternidade, elas precisam saber que podem e devem sonhar do tamanho que desejarem e buscar a realização desses sonhos.

A civilização moderna urge por mais igualdade e força para aquelas que já são 50% da população ativa. O mundo moderno não pode mais se dar ao luxo de desperdiçar todo o potencial da mão de obra e capacidade feminina.

Guarde esse número: Se as mulheres forem promovidas e contratadas para gerentes de primeiro nível nas mesmas taxas que os homens, adicionaremos mais um milhão de mulheres à gerência na América corporativa nos próximos cinco anos.

Mulheres com maior poder aquisitivo, maior força de decisão e criação significa um mercado consumidor mais aquecido e diversificado.

Vamos fazer nossa parte? Você está fazendo a sua dentro da sua organização e em sua própria vida?

A LEW é uma consultoria de Diversidade e Inclusão que trabalha exaustivamente para conscientizar, o máximo possível de pessoas, a respeito da questão dos Viéses Inconscientes e do quanto às decisões baseadas em seus registros próprios – muitas vezes distorcidos ou desatualizados, podem impactar negativamente seus negócios, suas relações e sua vida.

Visite nosso site, agende um bate papo para conhecer nossas soluções. Temos certeza que poderemos apoia-lxs em suas necessidades de evolução e crescimento. Esperamos por você. Um grande abraço.

LEW Company – Luceli Mota e Adriana Camargo – www.lewcompany.com.br

Siga-nos no Instagram, Face e Linkedin – @LEWCompany